ÚLTIMAS ATIVIDADES

 

17/08 Live Café com Segurança - "Causos" da área de segurança

06/08 - Live MCM - fontes de alimentação

16/07 Live da Aproseg - Dicas sobre instalações

04/05 Live Recarregando a Bateria, com o tema A Evolução do CFTV28/04 Live da Equipe Segurança Brasil, no CT Segurança

14/02 Palestras para a equipe de vendas da Bellfone

 

 

 

Produtos em destaque

 

As novas linhas de fontes da MCM

 

Conheça as novas linhas Smart Meter e Garra das fontes MCM, com recursos que facilitarão a vida do instalador.

 

A MCM

 

Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais. Uma cidade pequena, simpática, recheada de belas mansões muito bem conservadas, da época dos barões do café.

 

Jamais alguém iria pensar que esse cenário abriga as maiores industrias eletrônicas do país, no chamado Polo Industrial Vale da Eletrônica. Entre elas, a MCM, uma empresa 100 % brasileira, que há 37 anos vem fabricando fontes de alimentação e nobreaks -  ambos também chamados de conversores de energia.

 

Entre sua extensa gama de produtos,a MCM tem uma linha dedicada à aplicações em CFTV.


Diferente de outras marcas do mercado, ela não importa produtos da China em regime de OEM; tudo que fabrica e comercializa é  projetado e produzido aqui, em sua sede.

 

Seu sistema de gestão da qualidade possui certificação ISO9001. Todos os produtos atendem aos requisitos da Anatel e Inmetro e são validados por certificações internacionais, além de atenderem às diretivas ROHS e WEEE.

 

A MCM possui um departamento de engenharia de pesquisa e desenvolvimento, formada por engenheiros, tecnólogos e técnicos em eletrônica, especializados no desenvolvimento de produtos de qualidade reconhecida no mercado nacional e internacional.

 

Conta com parcerias de conceituadas instituições de ensino e pesquisa do Brasil, visando a inovação tecnológica na concepção e execução de seus projetos.

 

       

 

       

 

A linha de fontes Smart Meter

 

Um dos grandes problemas que muitos instaladores enfrentam é saber dimensionar corretamente a capacidade da fonte de alimentação conforme o consumo das câmeras conectadas à ela.

 

Para ajudá-los a dimensionar corretamente as fontes que utilizam em seus projetos, a MCM introduziu a função Smart Meter.em suas fontes.

 

O que é a função Smart Meter?

 

Para o instalador, é uma coisa muito simples.

 

Aquele LED, que na maioria das fontes apenas indica se ela está energizada ou não, ganhou uma nova função nas fontes Smart Meter MCM:   Ele muda de cor conforme a corrente que a carga conectada à fonte está consumindo.

 

 

Por exemplo: Digamos que você precisa instalar 16 câmeras que consomem 250 mA cada (0,25 A) com o IR ligado e 50 mA sem  IR.

 

Para determinar o consumo total que a fonte deverá suportar, vamos fazer a seguinte conta: 16 câmeras x 025 A = 4 Amperes com o IR ligado e 16 câmeras x 0,05 A = 0,8 A sem IR.

 

Como para dimensionar a capacidade de corrente da fonte sempre temos que considerar o consumo máximo (4 A),  uma fonte MCM de 12,8 Vcc, 5 Amperes atenderá perfeitamente, lembrando que as fontes MCM realmente entregam a corrente nominal especificada e podem trabalhar com 100 % de carga, conforme comprovei nos Testes de performance das Fontes MCM que fiz em meu laboratório (não é necessário deixar aquela folga de 80% quando se usa fontes colmeia, que comentei aqui).

 

Sendo assim, para uma fonte MCM de 5 A, o LED Smart Meter apresentará as seguintes cores:

 

- Até 3 A (de 0 a 60% da corrente nominal): VERDE

 

- Acima de 3 A até 4 A (de 61 a 80% da corrente nominal): LARANJA

 

- Acima de  4 A até 5 A (de 81 a 100% da corrente nominal): VERMELHO

 

- Acima de 5 A (ultrapassa a corrente nominal da fonte): VERMELHO PISCANDO até a fonte se desligar pela entrada da proteção contra sobrecarga.

 

Como as instalações são feitas durante o dia, após instalar e ligar as 16 câmeras, que consumirão 0,8 A, o LED ficará VERDE.

 

À noite, quando os IRs serão acionados, as 16 câmeras passarão a consumir 4 A, ficando o LED LARANJA.

 

Esse recurso é extremamente útil, pois nos dá uma ideia imediata se a fonte está bem dimensionada ou não.

 

Pode-se até alimentar  mais 4 câmeras iguais nessa mesma fonte, atingindo 5 A, sua corrente nominal, quando o LED ficará VERMELHO.

 

Porém, ao instalar uma 21ª câmera, o LED VERMELHO começará a piscar, indicando que a corrente nominal da fonte foi ultrapassada. Em seguida, a proteção contra sobrecarga da fonte entra e a fonte se desliga automaticamente.

 

Ao retirar essa 21ª câmera, a fonte retorna automaticamente à sua operação normal.

 

 

Apresentando a linha de fontes Smart Meter

 

A linha Smart Meter contempla fontes com correntes nominais de 0,5, 1, 3, 5 e 10 A.

 

Suas principais características:

 

- O nível de proteção elétrica Classe II Um equipamento/aparelho Classe II ou de "dupla isolação" é um dispositivo concebido para não necessitar um condutor de proteção (PE) ligado para à terra. A exigência básica é que mesmo uma simples falha não deixe perigosas tensões elétricas expostas nos equipamentos/aparelhos elétricos (as quais podem causar choques elétricos), sem a necessidade de um condutor (PE) ligado à terra. Isso é geralmente realizado utilizando-se, no mínimo, duas camadas de material isolante nas partes "vivas" (energizadas) dos equipamentos/aparelhos elétricos, sendo também possível a utilização de isolamento reforçado.Full range, operam com 100 a 240 Vac de entrada;

 

- Gabinete fabricado em plástico antichamas, totalmente selado,  com dupla isolação Classe II;

 

- Não necessitam de aterramento;

 

- Possuem filtro de interferência na imagem;

 

- Operam na faixa de temperatura ambiente de 0 a 40° C;

 

- Proteção contra surtos de tensão até 6 KV*, conforme a recomendação K.21;

 

- Proteção contra curto-circuito na saída;

 

- Proteção contra sobrecarga  (se desligam automaticamente se a corrente drenada na saída ultrapassar a corrente nominal da fonte);

 

- Proteção contra aumento de temperatura (se desligam automaticamente quando a  temperatura interna atinge 90 °C);

 

- 3 anos de garantia.

 

* para a maioria das fontes dessa linha

 

Fonte Smart Meter 12,8 Vcc, 0,5 A

 

Esta é definitivamente a melhor capacidade de corrente para uma fonte individual.

 

Porém, é injustamente ignorada, porque os instaladores não confiam em alimentar uma câmera com uma fonte que forneça apenas 0,5 A.

 

Talvez pela má experiência com fontes importadas, que dificilmente entregam a corrente nominal anunciada?

 

Mas cerca de 90% das câmeras instaladas não consome mais que 0,5 A e essa fonte da MCM realmente fornece uma corrente nominal de 0,5 A, tendo um custo e tamanho menores que uma fonte de 1 A.

 

Portanto, para 90% das câmeras instaladas, é um desperdício se utilizar uma fonte de 1 A, quando a fonte MCM de 0,5 A atenderia perfeitamente.

 

A fonte MCM Smart Meter de 12,8 Vcc, 0,5 A, vem com um rabicho para a conexão à rede AC, já prevendo sua instalação dentro de um condulete próximo à câmera, e um plug P4 na sua saída DC.

 

 

 

Fonte Smart Meter 12,8 Vcc, 1 A

 

Esta fonte já atende os 10% restantes: as câmeras que consomem mais de 0,5 A.

 

É oferecida em dois modelos de entrada AC: com plug padrão ou com rabicho, atendendo tanto a instalação dentro de um condulete ou conectada à uma tomada próxima à câmera.

 

Ambos os modelos vêm com plug P4 para alimentação das câmeras.

 

Fonte Smart Meter 12,8 Vcc, 3 A

 

Por motivos de redução de preço e assim se tornarem mais competitivos,  fabricantes de DVRs não costumam investir muito nas fontes que acompanham seus produtos.

 

O resultado disso é que se vê muitos chamados de manutenção de DVRs onde o problema é na fonte de alimentação.

 

Por isso sempre sugiro que se troque a fonte original, que acompanha o DVR, por uma fonte mais confiável.

 

Caso contrário, o primeiro chamado de manutenção, por problema na fonte original, custará mais do que trocá-la já na instalação por uma fonte MCM de 3 A, que  tem a capacidade de corrente ideal para se alimentar um DVR de até 16 canais.

 

Além disso, sua função  Smart Meter o manterá informado se o DVR alimentado ultrapassar sua corrente nominal, talvez pela adição de um segundo HD, pela troca por um HD de maior capacidade ou até mesmo por um problema de funcionamento interno do DVR, que venha a aumentar a corrente consumida.

 

 

 

 

 

 

 

É oferecida em dois modelos de entrada AC: com plug padrão ou com rabicho, atendendo tanto a instalação do DVR dentro de um rack ou conectado à uma tomada próxima à ele.

 

Ambos os modelos vêm com um plug P4 para alimentação do DVR.

 

Outra aplicação para essa fonte é alimentar até 8 câmeras com uma corrente  de consumo média* de até 375 mA por câmera.

 

Nesse caso, a MCM me informou que o plug P4 poderá ser cortado, sem perda da garantia.

 

 

 

Fonte Smart Meter 12,8 Vcc, 5 A

 

Fontes de 5 A são perfeitas para alimentar 16 câmeras que tenham uma corrente de consumo média* de até 300 mA por câmera ou um DVR de 8 canais e 8 câmeras.

 

Essa fonte é oferecida em 3 versões:

 

Com plug de força padrão na entrada AC e 2 pares de bornes para a saída DC:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um par de bornes pode ser utilizado para alimentar o DVR e o outro para alimentar as câmeras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com rabicho nas duas extremidades ou ainda com plug de força padrão na entrada AC e plug P4 na saída DC, esta última ideal para se alimentar um DVR de 32 canais:

 

A fonte de 5 A da MCM pode substituir tranquilamente as fontes genéricas de 10 A utilizadas em projetos de até 5 A, onde não se confiou que uma fonte genérica de 5 A atenderia.

 

Fonte Smart Meter 12 - 14 Vcc, 10 A

 

Fontes de 10 A costumam ser as mais utilizadas quando o projeto prevê o uso de uma fonte centralizada.

 

A fonte de 10 A da MCM é a única da linha Smart Meter que possui um sistema de ventilação forçada, acionado automaticamente quando a temperatura interna da fonte chega perto de 40 °C.

 

Essa fonte pode alimentar tranquilamente um DVR e 16 câmeras.

 

A fonte possui plug de força padrão em sua entrada AC e 2 pares de bornes para a saída DC:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma sugestão é usar um par de bornes para alimentar o DVR e o outro para alimentar as câmeras.

 

 

 

 

 

 

 

Organizer Box Power Supply  8/16 saídas

 

 

Instaladores mais caprichosos gostam de instalar o DVR em um rack, para que o trabalho fique mais limpo e organizado.

 

E a fonte de alimentação? Fica jogada lá atrás do rack, no meio de um emaranhado de fios?

 

Pensando em resolver esse problema, a MCM criou uma fonte de alimentação padrão rack 19" em 2 versões, para DVRs de 8 e 16 canais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A versão com 8 canais tem 8 bornes de engate rápido para alimentar até 8 câmeras por cabos de até 1,5mm² e 2 tomadas tripolares padrão INMETRO (NBR 14136) para conexão do DVR e um switch ou monitor.

 

 

A versão com 16 canais tem 2 zonas, com 8 bornes de engate rápido em cada uma, para alimentar  até 16 câmeras por cabos de até 1,5mm² e 2 tomadas tripolares padrão INMETRO (NBR 14136) para conexão do DVR e um switch ou monitor.

 

 

Cada zona independente pode fornecer até 112 W para as 8 câmeras conectadas à ela (cerca de 8 a 9 Amperes por zona, dependendo da tensão de saída).

 

Ambas possuem a função Smart Meter para ajuste da tensão de saída entre 12 a 14 Volts, sendo que a versão com 16 canais permite o ajuste independente da tensão de saída para cada zona (grupo de 8 câmeras), o que permite, por exemplo,  alimentar as câmeras mais próximas com 12 Volts e as mais distantes, com 14 Volts.

 

A linha de fontes Garra

 

Pensando em oferecer uma solução com uma melhor relação custo benefício, a MCM acaba de lançar a linha Garra, com características semelhantes a linha Smart Meter, exceto por:

 

- Menor custo;

 

- Garantia de 2 anos, ao invés de 3;

 

- Não contemplam a função Smart Meter;

 

Porém todas também são seladas, Full Range -  aceitam tensões  de entrada de 100 a 240 Vac -, e também podem operar em sua capacidade nominal.

 

As fontes Garra são fornecidas nas capacidades nominais de 1, 3, 5 e 10 A:

  

Fonte Garra 1 A                                                                                     Fonte Garra 3 A

 

 

             

Fonte Garra 5 A                                                                                     Fonte Garra 10 A

 

Outras fontes MCM para CFTV

 

Fonte Multissaída 12,8 Vcc, 5 A

 

Pode-se dizer que essa fonte é uma opção mais econômica para quem não quer usar o Organizer Box Power Supply - ou não precisa, por que não está usando um rack na instalação -,  mas ainda faz questão de uma instalação organizada.

 

Se a compararmos com a fonte 5 A, o grande diferencial dessa fonte é que, além dos dois pares de bornes para conexão das câmeras, ela também oferece 16 saidas separadas, para que as câmeras também possam ser alimentadas individualmente.

 

Cada saída individual aceita câmeras de até 0,5 A que, como já comentei, cobre 90% das câmeras instaladas, e é sinalizada por um LED VERDE que se apaga se a saída for colocada em curto, ativando também a proteção contra curto dessa saída.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Repare que as saídas para alimentação individual das câmeras estão separadas em pares.

 

É porque quando se precisa alimentar uma câmera que consuma mais que 0,5 A, cada par de saídas pode ser conectado em paralelo  através  dos cabinhos que acompanham a fonte, sendo que cada par ligado em paralelo suportará uma corrente nominal de saída de até 1 A.

 

No exemplo abaixo vemos como utilizar uma fonte MCM Mulitssaidas em um projeto com 8 câmeras, composto por:

 

- 1 DVR de 8 canais, que é vendido com uma fonte de 12 Vcc, 1,5 A;

 

- 1 câmera dome com IR de 15 m, que consome 250 mA com os IR ligados;

 

- 6 câmeras bullet com IR de 20 m, que consomem 300 mA com os IR ligados;

 

- 1 câmera bullet com IR de 50 m, zoom e autofoco motorizados, que consome 800 mA com os IR ligados.

 

Conforme já explicado acima, não é recomendável se utilizar a fonte original que vem com o DVR. Portanto, o DVR também será alimentado pela fonte MCM, que deverá assim suportar um consumo total de 4,35 A, dentro da capacidade nominal de uma fonte MCM 12,8 V, 5 A Multissaidas.

 

As conexões de alimentação nessa fonte ficariam:

 

- O primeiro par de bornes principais será utilizado para alimentar o DVR;

 

- O segundo par de bornes principais será utilizado para alimentar as 5 câmeras bullet com IR de 20 m que ficarão no perímetro do local porque, neste caso, não faz sentido enviar uma alimentação individual para cada câmera; é mais prático e barato enviar um par de fios paralelos até a câmera mais distante, sangrando-o no caminho para alimentar as outras câmeras;

 

- A primeira saída individual será utilizada para alimentar a câmera dome, que ficará dentro da guarita;

 

- A segunda saída individual será utilizada para alimentar a 6ª câmera bulelt com IR de 20 m, que será utilizada para pegar a placa dos carros que entram no local;

 

- Agora só falta alimentar a câmera bullet com IR de 50 m, que ficará apontada para a rua. Como essa câmera consome 800 mA, não poderá ser alimentada por uma das saídas individuais, pois só suportam 0,5 A . Mas poderá ser alimentada por 1 par de saídas ligadas em paralelo (a 3ª e a 4ª saídas no exemplo) que, juntas, suportam ate 1 A.

 

E isso poderia ser feito com os 8 pares de saídas, lembrando que a corrente total desses 8 pares de saídas ligadas em paralelo não pode ultrapassar a corrente nominal da fonte, ou seja, pode-se ligar até 8 câmeras que consumam, em média*, até 625 mA cada uma.

 

Nesse caso, a fonte só poderá ser utilizada para alimentar essas 8 câmeras; o DVR terá que ser alimentado por uma fonte separada.

 

Fonte Nobreak 12,8 Vcc, 3 A

 

Sistemas de segurança devem funcionar em regime 24 x 7, não podem parar. Daí a necessidade de se incluir um nobreak nos seus projetos. Também já comentei sobre isso aqui e aqui.

 

Porém, para pequenos projetos, nem sempre o orçamento do cliente,  ou mesmo o espaço físico disponível para a instalação, permitem a instalação de um nobreak.

 

Pensando em uma solução para esse problema, a MCM criou uma fonte nobreak, que custa menos que um nobreak tradicional e que , além dessa fonte, que tem as mesmas dimensões de uma fonte MCM de 5 A, somente é preciso incluir uma bateria no projeto.

 

É uma fonte que entrega até 3 A, nominais,  mesmo na ausência de energia.

 

A carga, de até 3 A, é alimentada pelo primeiro par de bornes à esquerda.

 

Uma bateria, de até 40 A, é conectada nos 2 bornes à direita.

 

Quando VERDE, o LED indica que a fonte está sendo alimentada pela rede elétrica. Se estiver VERMELHO, indica que a fonte está sendo alimentada pela bateria.

 

Quando alimentada pela bateria, a fonte se desligará automaticamente se a tensão nos polos da bateria cair a 9 Volts.

 

Essa fonte é ideal para se alimentar um sistema de CFTV pequeno, composto por um DVR de 4 canais e 4 câmeras

 

Para maiores capacidades, várias fontes nobreak podem ter seus terminais de bateria conectados em paralelo à uma única bateria, com cada fonte alimentando uma carga de até 3 A.

 

Por exemplo, enquanto a primeira fonte alimenta um DVR de 8 canais e um switch, a segunda fonte pode alimentar 8 câmeras.

 

Uma outra vantagem dessa solução é que a inclusão de um nobreak tradicional no projeto não eliminaria a necessidade de  fontes 12 Volts para o DVR e as câmeras.

 

Portanto, a fonte nobreak MCM não substitui apenas o nobreak no projeto, mas também todas fontes 12 Volts.

 

 

 

 

* Quando o texto informa, por exemplo, que uma fonte MCM de 3A pode alimentar até 8 câmeras com uma corrente de consumo média de 375 mA, não significa necessariamente que todas as câmeras devem ter esse consumo. Pode-se ter uma câmera que consome 1 A, enquanto outra consuma apenas 200 mA, desde que a soma da corrente consumida dessas 8 câmeras não ultrapasse a corrente nominal da fonte, 3 A, o que dá uma média de 375 mA (3 A / 8 câmeras).

 

 

Algumas particularidades das fontes MCM

 

Se você é um bom observador, já deve estar se perguntando:

 

- Por que as fontes MCM têm uma tensão de saída de 12,8 Vcc e não 12 Vcc, como a maioria das fontes do mercado?

 

- Por que as fontes MCM não têm o terceiro pino, o terra?

 

- Como faço para aterrar uma fonte MCM? Como evitar o loop de terra?

 

- Por que todas as fontes MCM são montadas em gabinetes plásticos blindados?

 

- Por que a MCM não fabrica fontes do tipo colmeia?

 

Bem, vamos às respostas:

 

Por que as fontes MCM têm uma tensão de saída de 12,8 Vcc  e não 12 Vcc, como a maioria das fontes do mercado?

 

Conforme especificado pela maioria dos fabricantes, suas câmeras foram projetadas para uma alimentação de 12 Vcc ±10%, ou seja, uma tensão entre 10,8 e 13,2 Vcc.

 

Isso significa que a perda máxima de tensão no cabo, para uma fonte que forneça 12 Vcc, é de 1,2 Volts.

 

Eu entro em detalhes sobre isso neste artigo: Cabeamento de Alimentação

 

Porém, se a tensão de saída da fonte aumentar para 12,8 Vcc, a queda de tensão no cabo já poderá ser maior, até 2 Volts!

 

E que diferença isso faz, na prática?

 

Suponha que você usou as tabelas do artigo do link que postei acima e concluiu que uma determinada câmera, que tem uma corrente de consumo X, poderá ser alimentada por uma fonte 12 Vcc através de um cabo de alimentação que tem uma bitola Y, à uma distância de até 100 m:

 

 

Mas se você utilizar uma fonte MCM, que entrega 12,8 Vcc em sua saída, o alcance será 67% maior (2/1,2 = 1,67) , permitindo que com essa mesma mesma bitola de cabo de alimentação, a câmera seja alimentada à até 167 m de distância:

 

 

 

Ou, se mantivermos a distância de 100 m, pode-se alimentar essa câmera com um cabo de bitola menor. Por exemplo, ao invés de se usar um cabo  2 x 1,5 mm2, pode-se  usar um cabo de 2 x 1,0 mm2.

 

Como é bastante comum utilizar-se quilômetros de cabos em uma instalação, optar pelas fontes MCM representará uma boa economia no custo do cabeamento.

 

Além disso, para 90% dos casos, ao invés de uma fonte de 12 Vcc, 1 A, pode-se usar uma fonte MCM de 12,8 Vcc, 0,5 A.

 

Por que as fontes MCM não têm o terceiro pino, o terra?

 

Conforme o Artigo 2 da Lei 11.337, de 2006, os aparelhos elétricos com carcaça metálica e aqueles sensíveis a variações bruscas de tensão, produzidos ou comercializados no país, deverão, obrigatoriamente, dispor de condutor terra de proteção e do respectivo adaptador macho tripolar.

 

Como todas as fontes da MCM são montadas em gabinete plástico, elas não precisam do pino terra.


Além disse, todas atendem o nível de proteção elétrica Classe II, conforme já explicado acima.

 

Já as fontes do tipo colmeia, por terem um gabinete metálico, precisam disponibilizar um borne terra para proteger o usuário contra eventuais choques elétricos e, portanto, devem ser aterradas para que essa proteção funcione.

 

Como faço para aterrar uma fonte MCM? Como evitar o loop de terra?

 

O  loop de terra acontece quando uma diferença de tensão AC circula pelo cabo coaxial que interliga a câmera ao DVR, por suas fontes não estarem no mesmo potencial de terra.

 

Por isso é necessário se utilizar uma fonte centralizada, com seu borne de terra ligado ao terra do DVR.

 

Porém, as fontes MCM são uma exceção, porque o terra da entrada AC e da saída DC são isolados opticamente, impedindo que se forme esse loop AC entre os terras.

 

Portanto, as fontes MCM não precisam ser aterradas e, por esse mesmo motivo, não é necessário se utilizar uma fonte centralizada, já que todas as fontes MCM, mesmo as individuais**, não permitem a formação do loop de terra.

 

** Por motivos de redução de custo e falta de espaço físico, as fontes MCM individuais abaixo de 1 A, fazem o isolamento entre os terras AC e DC  através de um transformador isolador, não por desacoplamento óptico, com o mesmo resultado.

 

Por que que todas as fontes MCM são montadas em gabinetes plásticos totalmente selados?

 

Fontes chaveadas utilizam a tecnologia de chaveamento da tensão de entrada por PWM (modulação por largura de pulso).

 

Essa modulação é feita em alta frequência, em torno de 40 a 100 KHz., que atrai insetos.

 

Daí a necessidade de um gabinete selado, para evitar a entrada de insetos, que poderiam danificar o circuito eletrônico da fonte, baixando o seu MTBF.

 

Além disso, todos os gabinetes das fontes MCM são antichama.

 

Por que a MCM não fabrica fontes do tipo colmeia?

 

Um dos motivos é que a MCM se preocupa muito com a segurança de seus clientes e não tem como saber se o instalador irá  aterrar corretamente uma fonte colmeia, garantindo que o usuário ficará protegido contra choques elétricos, atendendo o objetivo do Artigo 2 da Lei 11.337

 

Outro problema que ocorre, quando uma fonte colmeia não é aterrada, é que o circuito de proteção contra surtos desse tipo de  fonte  foi projetado de forma que na ocorrência de um surto de tensão, ele seja dirigido para a terra através do borne de aterramento, evitando que a fonte ou os equipamentos à ela conectados sejam danificados ou que o usuário seja eletrocutado.

 

Porém, se a fonte colmeia não for aterrada, o surto de tensão, não tendo por onde se escoar, poderá danificar os componentes internos da fonte, o que pode explicar a alta incidência de defeitos em fontes colmeia, que não ocorrem por defeito de fabricação, mas por culpa dos instaladores, por não seguirem a NR 10***.

 

E sabemos que a grande maioria não aterra as fontes que instala, porque isso representaria um maior custo de instalação que, muitas vezes, o cliente se recusa a assumir.

 

Por não ter como garantir que os instaladores irão aterrar suas fontes, a MCM optou por um gabinete selado, fabricado em plástico antichama, que isola a fonte contra choque elétricos, e um projeto de circuito eletrônico que trata de uma forma diferente o surto de tensão, evitando que suas fontes precisem ser aterradas e por isso são  classificadas com o nível de isolação elétrica Classe II.

 

Outro motivo, que já foi comentado acima, é que fontes colmeia não impedem a entrada de insetos, que acabam danificando o circuito da fonte, baixando seu MTBF.

 

Um terceiro motivo, é que não tem como garantir que uma fonte colmeia não propague chamas, pois seu gabinete é aberto.

 

***NR.10: Além de conduzir as correntes de descargas atmosféricas, os aterramentos possuem a função de descarregar cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas e equipamentos para o terra.

 

Possuem, também, a função de facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção, como, por exemplo, os Dispositivos de Proteção Contra Correntes Residuais (DR).

 

Por que as fontes de alimentação da MCM  mereceram entrar na seção Produtos em Destaque?

 

Pelos inúmeros diferenciais que elas oferecem, se comparadas com a maioria das fontes do mercado:

 

- A maior garantia do mercado: 3 anos (ou 2 anos para as fontes Garra);

 

- Função Smart Meter, que facilita no projeto e no monitoramento do consumo da fonte;

 

- Soluções de montagem diferentes das convencionais, como a Fonte Multissaida, a fonte Nobreak e o rack Organizer Box Power Supply e também as opções que alguns modelos de  fontes oferecem,  como plug de força ou  rabicho na entrada AC; bornes, plug P4 ou rabicho na saída, o que auxilia nas diferentes situações de instalação.

 

- Alimentação 12,8 Vcc, que compensa as perdas no cabo, proporcionando uma maior economia no cabeamento de alimentação;

 

- Não precisam estar aterradas para que a proteção contra surtos funcione corretamente;

 

- Evitam o loop de terra, por isso podem ser montadas individualmente, "ao pé da câmera";

 

 - Proteção contra surtos de tensão, sobrecarga ou aumento de temperatura;

 

- Imunes à invasão de insetos;

 

- Filtro contra interferência na imagem;

 

- Gabinete selado, antichama.



Abr/2020

Mai/2020

Quer saber quando novos artigos serão publicados?

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

Copyright ©2014 Instituto CFTV - Todos os direitos reservados

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total ou parcial deste site por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia do autor.