TREINAMENTOS

 

22/11 INFRAESTRUTURA E CABEAMENTO P/ SISTEMAS DE CFTV

Como montar e testar conectores BNC

 

O conector padrão para sistemas de CFTV é o conector BNC de 75 ohms de impedância. Eu já expliquei isso com detalhes neste artigo: Conectores BNC de 75 ou 50 ohms?

 

Por esse motivo, o conector que você vai encontrar nas câmera e DVRs, é o conector BNC fêmea.

 

E o tipo de cabo padrão para conexão de câmeras e DVRs é o cabo coaxial, também com 75 ohms de impedância.

 

Existem vários tipos de conectores BNC, já discorri sobre todos os modelos existentes aqui, mas os mais recomendáveis são aqueles de compressão, ou pelo menos, de  crimpagem (prensagem).

 

Uma característica desses conectores é que eles necessitam de alicates especiais para sua montagem no cabo e, uma vez instalados no cabo, não podem mais ser reaproveitados .

 

           

 

      CONECTOR DE CRIMPAGEM                                                 ALICATE DE CRIMPAGEM                                    CONECTOR E ALICATES P/ COMPRESSÃO

 

Se depois do cabo montado for detectado que ele não está funcionando corretamente, perde-se os conectores, que terão que ser descartados, juntamente com um trecho de cabo, e substituídos por outros.

 

Sendo assim, para evitar prejuízo com o desperdício de conectores, é importante que sejam feitos alguns testes antes de finalizar sua montagem no cabo.

 

Esses testes também servem para validar um cabo BNC-BNC montado com qualquer tipo de conector.

 

O que testar no conector BNC

 

Existem 2 tipos de problemas que podem ocorrer na montagem dos conectores BNC em cabos coaxiais:

 

1. Curto

 

Acontece quando o condutor central do cabo fica em curto com a malha.

 

2. Desconexão

 

Quando o pino central (e/ou a carcaça) do conector BNC de uma das extremidades do cabo não está conectado ao pino central (e/ou a carcaça) do conector BNC na outra extremidade.

 

Estes testes devem ser executados após a inserção dos conectores no cabo, porém ANTES da sua montagem definitiva.

Após essa verificação, os conectores podem ser crimpados ou comprimidos no cabo sem problema.

 

Procedimento passo-a-passo de montagem e teste do conector BNC

 

a) Após ter decapado o cabo com o alicate de decapagem correto para o tipo de cabo escolhido, faça uma inspeção visual, verificando se a malha ou a fita metálica não estão encostando no condutor central.

 

b) Insira cuidadosamente o conector BNC no cabo decapado. Faça uma nova inspeção visual no conjunto

 

 

c) Teste contra curto

 

- Coloque seu multímetro na escala de ohms / continuidade;

 

- Encoste uma das pontas de prova na carcaça do conector BNC e a outra no pino central do conector, conforme a foto abaixo:

 

 

d) Se estiver em curto, retire o conector, faça uma nova inspeção visual no cabo e, se necessário, corte a ponta do cabo e repita os passos de a) a c),

 

e) Verificada a ausência de curto nessa extremidade, repita os passos de a) a c) para a outra extremidade do cabo.

 

f) Teste de continuidade

 

Checa a conexão entre os conectores BNC inseridos no cabo.

 

Consiste em verificar:

 

- Se o pino central do conector BNC de uma das extremidades do cabo está conectado ao pino central do conector BNC da outra extremidade.

 

Coloque as pontas do multímetro nos pinos centrais dos conectores BNC inseridos nas duas extremidades do cabo.

Se houver continuidade, o multímetro irá apitar e sua escala indicará uma resistência baixa:

 

 

- Se a carcaça do conector BNC de uma das extremidades do cabo está conectada à carcaça do conector BNC na outra extremidade.

 

Se houver continuidade, o multímetro irá apitar e sua escala indicará uma resistência baixa:

 

 

Esse teste poderia dar um resultado falso se fosse feito antes do teste da existência de curto (item c), porque um curto entre a carcaça e o pino central em um dos conectores BNC poderia ser interpretado como a existência de continuidade entre as extremidades.

 

Por esse motivo, SEMPRE VERIFIQUE A NÃO EXISTÊNCIA DE CURTO ANTES DE TESTAR A CONTINUIDADE

 

Verificada a não existência de curto entre malha e condutor central e a continuidade entre os conectores, utilize o alicate adequado para finalizar a montagem  dos conectores no cabo.

 

Faça um último teste no cabo,  pois pode acontecer que, durante a crimpagem/compressão do conector, algum fio se desloque, causando um curto ou descontinuidade . Se tudo estiver ok, o cabo está pronto para uso.

 

Testando com o cabo já passado

 

É muito fácil testar a continuidade em um cabo curto ou com os conectores aplicados em um rolo de cabo, já que as duas extremidades do cabo estão ao alcance das pontas do multímetro.

 

Porém, como fazer essa verificação se o cabo já está passado nos eletrodutos e suas duas extremidades estão distantes?

 

a) Escolha uma das extremidades;

 

b) Execute os passos a), b) e c) do item 5;

 

c) Para testar a continuidade, decape a outra extremidade do cabo e una o condutor central com a malha, formando um curto:

 

 

Coloque as pontas do multímetro na carcaça e no pino central do conector já inserido. Meça a continuidade. *

 

O curto entre o condutor central e a malha na outra extremidade formou um loop, fazendo com o que o sinal de teste enviado pelo multímetro vá pelo condutor central e retorne pela malha, indicando a continuidade.

 

d) Vá para a outra extremidade do cabo;

 

e) Repita os os passos a), b) e c) do item 5 nessa extremidade;

 

f) Prepare um conector BNC fêmea, soldando um pedaço de fio entre seu pino central e sua carcaça, conforme figura abaixo:

 

 

g) Conecte o conector BNC fêmea na extremidade oposta do cabo (que já foi testada):

 

 

Coloque as pontas do multímetro na carcaça e no pino central do conector sob teste.  Meça a continuidade.*

 

O curto entre o condutor central e a carcaça do conector BNC fêmea na outra extremidade formou um loop, fazendo com o que o sinal de teste enviado pelo multímetro vá pelo condutor central e retorne pela malha, indicando a continuidade.

 

* Neste caso, não confie muito no teste audível de continuidade. A comprovação de continuidade deverá ser confirmada pela leitura de uma resistência baixa pois, dependendo do comprimento do cabo, a resistência medida pode não ser tão baixa a ponto de ser detectada como continuidade pelo teste audível.

 

Verificada a não existência de curto entre malha e condutor central e a continuidade entre os conectores, utilize o alicate compatível  com o conector para finalizar a montagem dos conectores no cabo.

 

Finalizada a montagem dos conectores, utilize o conector BNC fêmea acima mencionado para fazer um último teste no cabo, pois  pode acontecer que, durante a crimpagem/compressão do conector, algum fio se desloque, causando um curto ou descontinuidade . Se tudo estiver ok, o cabo está pronto para uso.

 

Veja outras dicas aqui

 

Out/2018

Quer saber quando novos artigos serão publicados?

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!

comments powered by Disqus

Copyright ©2014 Instituto CFTV - Todos os direitos reservados

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total ou parcial deste site por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia do autor.